terça-feira, 27 de dezembro de 2011

A Amizade Sentida

Alcançando a luz
Encontro a energia
Do que me alcança
Por dentro e me puxa
E me acerta como uma lança

A verdadeira Amizade é como
A luz que nos ilumina
Pensem o que seria
Conseguir viver nas trevas
Sem a sua magia

Viver sem Amizade seria assim
Um caminho sem sentido.
Porque naquele penhasco
Aquele que julgamos alcançar
Veríamos o sonho brilhar
E a Amizade acordar.

Gostava de te chamar, posso?
Meu amigo, que dizes tu?
Quando nós encaramos o futuro
Vivemos com brilho
Do que encaramos nesse trilho
Por nos realizado.

Seria tão bom, mas tanto!
Que não encontro meio
De ver a Amizade contida
Nos momentos que passamos
Juntos a conviver
Para assim não sofrer

Amizade, amiga, não partas
Não sonhes, não dispares
Vive apenas junto a mim
Para espalhares como as artes
Que sorrimos num amor sem fim.

A todos quantos
Têm a Amizade sentida
Quero dizer sem prantos
Que isso que sentem, sem lamentos
É o que temos na Amizade caída.


Ricardo Bragança Silveira
26 de Dezembro de 2011

Sem comentários:

Enviar um comentário