sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Forte da Casa

Forte da Casa terra do meu encanto
Vives com a luz das tuas gentes
Protegido por um manto
E nem às crianças mentes

Se um dia acordares e não tiveres
As pessoas do teu lado
Não te esqueças de viveres
Para aqueles que te viram crescer

Cresceste como uma criança
E neste momento és maior de idade
Sempre unido a uma crença
No teu grande futuro vindouro

O Tejo está ao fundo
A marcar o teu fim
Neste nosso mundo
Que é adorado por mim

Obrigado querida terra
Por existires para mim
No alto da tua serra
Com a beleza que não tem fim






Forte da Casa, 23 de Agosto de 2005
Ricardo Emanuel Bragança Silveira
Dedicado à minha querida vila

Sem comentários:

Enviar um comentário